RESENHA | Bella Máfia de Vitto Graziano

Bella Máfia – dinheiro se lava com sangue
Autor: Vitto Graziano
Ano: 2016
Editora: Luva
Sinopse:

Sócio majoritário da maior mineradora do Rio de Janeiro, Salvador Lavezzo também é a cabeça por trás de um sofisticado esquema de narcotráfico no eixo Brasil-Suíça; contudo, vê sua fortuna ser ameaçada após a apreensão de dez toneladas de pasta base de cocaína no Mato Grosso. Investigado pela Polícia Federal e jurado de morte por seus superiores, Lavezzo terá 24 horas para virar o jogo a seu favor. Este livro é uma máquina de guerra, pontual como a engrenagem do fuzil, bem lubrificado como o tanque e delicado como a pólvora.

 

wp-1486559890393.jpg

Guerra é um confronto sujeito a interesses da disputa entre dois ou mais grupos distintos de indivíduos mais ou menos organizados.

Bella Máfia é um livro que retrata a guerra em suas diversas formas. Ele nos lembra que mesmo sendo levados à ilusão de que estamos em plena paz, vivemos o caos às sombras. Faço assim referência a explicação de Guerra, confronto de interesses. Estamos sempre cercados destes, sejam estatais, patriarcais, ou entre grupos. Bella Máfia nos mostra que a guerra nunca tem fim, guerra é constante, a guerra está embaixo dos nossos narizes!

Quando pensamos em máfia, logo nos vem à mente a cena do famoso italiano, ilustrado por  Vito Corleone.
Mas em Bella Mafia a realidade está em nosso derredor, o livro que se passa no Brasil explora o estado e o narcotráfico.

O Brasil tinha tudo para ser uma potência, mas o ranço deixado pela história fez dessa terra uma piada em que poucos riem, ou sabem por que acham graça. Ladrões são ministros de Deus, corruptos símbolos de idoneidade, traficantes opinando sobre ética e vocês os apoiam, por ignorância ou conformismo.

Engana-se que nossos bandidos estão por aí maltrapilhos e sujos, com a barba mal feita e soltando gírias absurdas. Eles são elegantes, limpos e perfumados e, por fim, nos enganam com seu linguajar estupendo.

De pernas cruzadas, o idoso de bilhas magnéticas, terno listrado e olhar fixo, destilava poder do alto de sua cadeira de couro.

O tempo todo a obra nos instiga a pensar, a prestar atenção no que engolimos calados pela regência.

Vitto Graziano – o autor da obra – brinca o tempo todo com a riqueza de detalhes, seus personagens e cenários são absurdamente bem detalhados nos puxando, literalmente, para dentro das suas palavras.

Não podia deixar de anotar Salvador Lavarenzzo à minha lista de personagens favoritos. Com toda sua excentricidade o vilão se tornou o personagem mais verdadeiro que encontrei por entre várias páginas dos mais variados livros que costumo ler.

Como sentia falta daquele dia ensolarado ao lado da ex-mulher Helena e do filho Lucca, quando, curtindo as praias em Fernando de Noronha, pôde andar desarmado, sem escolta ou qualquer tipo de preocupação.
Gozava de prestígio, não tinha inimigos poderosos ou arrependimentos. Jamais desfrutaria dessa paz novamente, das areias esbranquiçadas daquele paraíso litorâneo e do sabor da água de coco salgada pelo mesclar da maresia. Havia perdido seu bem mais sagrado e, pelo andar da carruagem, nada no mundo lhe traria de volta a liberdade de ser um homem comum.

Salvador é como uma sirene que o tempo todo nos deixa em alerta, é enganador nato, usa todo seu carisma para enganar os outros personagens. Não poderia deixar de usá-lo como uma apologia aos nossos representantes.

O dinheiro e o poder não eram tão bons ou importantes como os barões tentavam lhe fazer acreditar. A felicidade residia nas pequenas coisas, nos gestos simples que esquecemos em função das responsabilidades.

Bella Máfia é um livro de leitura rápida e altamente filosófico. O livro tem claras críticas sociais, desde como funciona a máfia até sua influência do cenário político brasileiro, chegando inclusive a referenciar (ou seria citar?) conhecidos episódios de violência vividos realmente em nossa sociedade (fica ao leitor a dica de prestar atenção a certos pormenores e puxar da memória algumas manchetes televisivas de um passado recente. Talvez encontrem algumas semelhanças)
“A arte imita a vida”.

Bella Máfia é simplesmente incrível!

Informações adicionais: Bella Máfia foi esgotado na sua primeira tiragem, entretanto estará disponível  novamente para a vendas depois do Carnaval. 

Resenhado por Alua.

Facebook Comments

2 comentários em “RESENHA | Bella Máfia de Vitto Graziano

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: