RESENHA TEATRAL | Os que têm a hora marcada

Resenha teatral sobre o espetáculo de formatura da turma de Interpretação Teatral da Escola de teatro da Faetec Quintino, RJ “Os que têm a hora marcada”, adaptado por Jorge Leite, baseado no ensaio “Die Befristeten”, do romancista e ensaísta de nacionalidade búlgara e britânica, Elias Canetti.

horamarcada

Levantando questionamentos do início ao fim, além de teorias de conspiração, essa peça realmente pode ser considerada um espetáculo. A proposta? Simples, em um futuro distante, ou não, todos nascem sabendo quantos anos vão viver, então eles se planejam e vivem. Alguns vivem muito, outros muito pouco, porém é isso, não tem como mudar o destino, o tempo que passa sem pausas, o mesmo tempo que seria o seu carrasco.
  Ao nascer cada pessoa recebe um número, seus anos de vida. Alguém uma vez disse que a melhor forma de desumanizar uma pessoa é lhe dando um número, mas não me recordo quem foi, de fato a desumanização que ocorre nessa história é interessante, as pessoas se conformam com o tempo de vida que têm, sem questionar se poderiam viver mais ou viver menos, apenas se conformam e ficam satisfeitas com isso, porém sempre existe alguém insatisfeito, que é o caso do protagonista “Cinquenta”, o qual começa a se questionar, observar e analisar a realidade na qual as pessoas permanecem em suas zonas de conforto, com medo de se arriscarem, pois sabem que fora do planejamento, o tempo pode não ser suficiente.
  Para falar um pouco sobre a montagem e encenação, vale ressaltar que a FAETEC estava de  greve durante o curso e que os professores não estavam recebendo, então percebe-se muita dedicação e esforço que resultaram em um belíssimo trabalho, porém não gostei muito da coreografia de abertura, só que tem uma razão bem específica para isso: eu costumo buscar a lógica, simetria e a mensagem nas coisas e, muitas vezes, em trabalhos de pura expressão corporal, não existe simetria, lógica ou mensagem concreta, permitindo dar várias interpretações ao trabalho, ou apenas tornando o trabalho algo mais voltado para a estética ou encanto da plateia.
Caso haja outra apresentação, iremos divulgar e recomendo que assistam.
Texto produzido por: Lucas Rafael
Facebook Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: