RESENHA + SORTEIO | Scrupulo – dois pesos, duas medidas

Scrupulo – dois pesos, duas medidas
Autora: Teresa Helsen
Ano: 2017
Editora: sem editora, livro independente

Scrupulo – Dois Pesos, Duas Medidas é, por natureza, o aperitivo de “sabor” formigante que abre caminho para o prato principal. A obra é composta por duas histórias, intituladas I Put A Spell On You e Ataque Fegatello, sendo elas parte de um projeto maior da autora chamado Scrupulo – Vale Quanto Pesa (disponível gratuitamente na plataforma online Wattpad), muito embora ambas as tramas se desenvolvam de maneira particular.

Mas particularidades à parte, o par de narrativas aborda através de ângulos distintos a relação entre Seth Cunnings e Claudia Cazarotto, diretor e contadora da empresa de tecnologia e segurança Blue Velvet respectivamente, união que trafega — a passos vagarosos — além do mero profissionalismo. O que se vê é uma parceria à sombra de interesses amorosos que, a despeito do aparente clichê, é construída de maneira divertida de acompanhar. A história pode até apresentar um ou outro estereótipo, contudo, obtém posicionamentos bastante inesperados.

Em I Put A Spell On You, acompanhamos o que poderia se chamar de “capítulos iniciais” da relação entre Cazarotto e Cunnings. A aproximação ainda é recente, repleta de incertezas. Enquanto Seth se sente enfeitiçado por Claudia mesmo antes de descobrir que trabalhariam juntos e não sabe administrar esse “encantamento”, Claudia, demora a entender os próprios sentimentos por desconfiar do caráter de Cunnings — suspeito de envolvimento com a máfia — e, claro, por se tratar do seu chefe.

“Existem pessoas que simplesmente nos encantam.” — pág. 38

As nuanças desses sentimentos se tornam mais evidentes quando ambos precisam comparecer a um jantar de negócios, onde o comportamento de Seth é bastante imaturo comparado ao de Claudia — sem chegar a ser de alguma forma deselegante. Ele, que dava indícios de ser uma espécie de predador, se revela bastante sensível às questões do coração. Por trás do sorriso de dentes brancos e terno de corte impecável, Cunnings esconde uma personalidade de sentimentalismo maior do que poderia se supor.

“Mas no presente estado de espírito que Seth se encontrava, ele só entendeu o que estava na superfície, quase a forma literal da frase. E no entendimento dele, isso significava que ela quis empurrá-lo para cima de Terry, ou simplesmente não o considerava uma opção amorosa. E ambas as coisas resumiam-se no fato de que ela não o queria.” — pág. 34

Claudia, por sua vez, possui um controle melhor desenvolvido. Pelo menos é o que ela busca transmitir, apesar de que na sua mente, é travado sérios diálogos nada ortodoxos. Isso porque Claudia tem um álter-ego oculto chamado “Claudinha da construção civil”, alguém de natureza bem mais prática e bem menos indireta. Entre elas, a verdade nua e crua é exposta, e a personalidade centrada de Cazarotto cai por terra.

“Cazarotto, é mais do que óbvio que esse homem está afim de você. Não seria tão e muito mais simples você dar bola e tirar ele de vez dessa festa?” — pág. 80

A autora mescla esse clima de romance em construção ao suspense de uma trama de conspiração e ambição, e o enredo que inicia de modo despretensioso terminar por adquirir tons complexos em sua concepção. O faro de Cazarotto de quem conviveu em meio a armações a leva a perceber que Cunnings pode estar correndo sério perigo, capaz de vivenciar o mesmo trauma que a própria havia sofrido num passado recente, então ela se vê na obrigação de protegê-lo.

Teresa Helsen constrói no primeiro conto uma trama inclinada ao lado mais sentimental do ser humano, onde razão e emoção guerreiam. Há uma boa apresentação dos personagens centrais, e ainda que seja apenas a superfície do universo Scrupulo, nota-se o quanto eles são bem pensados quanto a elaboração da personalidade, cada um do seu jeito.

elie scrupulo

Já o segundo conto, Ataque Fegatello, ele se apresenta bastante conciso em relação ao seu antecessor. A autora cultiva uma trama voltada para a racionalidade regada à vingança, enquanto aproveita para fazer críticas sociais à realidade do nosso país ao dissecar o passado de Claudia Cazarotto.

“Gosto de ser contratada para serviços que coloquem certos tipos de homem em seus devidos lugares […].” — pág. 102

A trama é repassada pelo ponto de vista de Cunnings, em narrações que alternam entre primeira e terceira pessoa. Agora, ele e Claudia se encontram mais ligados, mas não o suficiente para algo maior. Por enquanto, o romance é deixado de lado. Ainda assim, é perceptível a evolução do relacionamento entre os dois em pequenas passagens — com grandes significados — espalhadas no texto.

Além disso, também é perceptível como a autora respeita os traços comportamentais dos personagens ao se negar a apressar o “caso” — que verdade seja dita, é uma tarefa muitíssimo árdua deixar de idealizá-lo — deles, afinal, fugiria totalmente da essência de Cazarotto, sobretudo.

Desta forma, o pano de fundo dessa nova empreitada é o episódio em que Claudia descobriu esquemas ilícitos envolvendo políticos e empresários ricos, época na qual atuava como auditora no Ministério Público. A história culminou num escândalo imenso, pois expôs os bastidores do da corrupção degradando a Capital paulista.

Por uma série de infortúnios, Cazarotto se viu obrigada a recuar, a mudar o rumo de sua vida. Isso até ela encontrar a oportunidade perfeita para cometer o que alguns poderão considerar justiça, mas que se traduz melhor através da palavra vingança.

“O negócio é sempre identificar a vulnerabilidade…” — pág. 120

Aqui é explorado o lado extremamente calculista de Cazarotto. E mesmo sendo uma aposta arriscada da autora apresentar essa outra faceta da mulher por meio de Cunnings, a personagem acaba contraindo ainda mais carisma.

E o ponto alto da obra, como um todo, é justamente esse potencial de Claudia Cazarotto, o qual foi muito bem introduzido nas poucas páginas que compõem o livro. Ao retratar uma mulher autossuficiente, única responsável pelos méritos conquistadas, com deliciosos aspectos de anti-heroína e personalidade forte, Teresa Helsen abre o apetite para o universo maior de Scrupulo.

É fato: o leitor certamente se pegará imaginando o quanto ainda será possível consumir o mundo instigante de Cazarotto e Cunnings. Alguns provavelmente torcerão pelo romance, outros pela aventura, mas todos compartilharão o anseio por mais.


Confira abaixo!

E atenção! A autora nos contou que o livro estará em preço promocional de apenas R$ 1,99 até dia 20 de Outubro lá na Amazon! (link aqui). Então corre, e aproveite que as 5 primeiras avaliações lá da Amazon, vão ganhar brindes do livro (saiba mais aqui na página Scrupulo).

Mas você que é leitor do blog do Clube de Livros, pode ganhar este livro FÍSICO! Basta comentar aqui no post: #EuQueroLivroScrupulo. E torcer para ser o sorteado!
O resultado sairá em 1 mês.

Obs: O livro físico pertence a uma edição de apenas dez exemplares, especial para blogs e leitores, com algumas diferenças da edição de e-book (alguns textos explicativos, porém o conteúdo dos contos é o mesmo).

PS: Lembrando que o envio gratuito será feito apenas para território nacional. O ganhador será contactado por e-mail e se não responder no prazo de 3 dias, o sorteio será refeito. Quem não utilizar a hashtag será desclassificado.

Facebook Comments

24 comentários em “RESENHA + SORTEIO | Scrupulo – dois pesos, duas medidas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: