RESENHA | Renascimento, de Sérgio Pereira Couto

Nome: Renascimento – A lenda do Judeu Errante.
Autor: Sérgio Pereira Couto.
Ano de publicação: 2007, SP.
Páginas: 221.
Sinopse: O que levaria um pesquisador dos sonhos a procurar sociedade com o proprietário de uma loja virtual na Internet? Esse é o pensamento que passa pela mente de Roger Briggs, um judeu que chegou ao Brasil para refazer sua vida depois de perder seus pais no fatídico ataque terrorista de 11 de setembro de 2001 em Nova York. Agora ele é um empresário de sucesso. Em busca de meios para expandir seus negócios, Roger busca um sócio.
É quando aparece o misterioso Dr. Varshae, que lhe oferece o suficiente para dar o próximo passo comercial. Ele apenas faz uma exigência: que seu novo sócio leve sua namorada para uma comemoração em Roma, a cidade eterna. Mal sabe ele que há outra pessoa lá a sua espera. Alguém ligado ao seu passado que aguarda ansiosamente para saldar seus próprios débitos e seguir em frente. Roger e sua namorada Liz aceitam a viagem.
A irmã de Liz, Emile, recém-convertida ao kardecismo, é a única que percebe que tudo parece ser mais do que aparenta. E tudo começa a se complicar quando um misterioso frei franciscano entra em cena para avisar sobre o que os espera.
renascimento
(imagem retirada da internet, créditos na imagem)
Sobre o autor: Sérgio Pereira Couto é jornalista e escritor. Colabora regularmente com diversos websites como o Mistérios Antigos, onde é colunista fixo. Foi editor e repórter de revistas como Ciência Criminal e Discovery Magazine, além de editor-assistente de revistas de tecnologia como PC Brasil e Geek!. Tem textos, artigos e colaborações publicadas nas revistas Galileu e Planeta. É o autor de mais de quinze livros, com mais de cem mil exemplares vendidos somente no Brasil, entre eles os best-sellers Sociedades Secretas e Investigação Criminal.
Eu sempre ouvi que não se deve julgar um livro pela capa, mas quando se trata de “renascimento” é quase impossível não levar esse fato em consideração. A fonte, cor, tudo me chamou a atenção. Outro ponto que me fez adquirir o livro é o fato de eu ser uma pessoa que tem quedas por lendas, então somando um mais um eu tive outro livro na minha estante.
A leitura começou de modo fácil, a diagramação do livro não deixou a desejar nem por um momento.
A trajetória de vida de Roger Briggs não foi nem um pouco fácil. Ele é filho de israelenses, com a vida difícil, cercada pelos conflitos que assolam aquelas terras, a família buscava uma saída. Foi quando o pai dele recebeu uma proposta de emigrar para os Estados Unidos. Quando eles finalmente conseguiram se estabilizar, aconteceu o atendado de 11 de setembro. E os pais dele estavam no segundo voo que atingiu a uma das torres.
Com o dinheiro da indenização Roger conseguiu se mudar para o Brasil, mais precisamente para São Paulo, onde usou o que sobrou do dinheiro, para construir sua empresa, que em cinco anos conseguiu não apenas se estabilizar no mercado, como também conseguiu se destacar. Infelizmente com o crescimento da empresa, cresceram também os impostos e por isso Roger decidiu que seria mais fácil procurar um sócio.  Ele só não entendia como um pesquisador do sono poderia ser um parceiro em potencial.  Dr. Varshae é um renomado pesquisador e aparenta querer se aposentar. Por isso decide investir 20 milhões na empresa de Roger. Até ai tudo bem, certo? Errado.
Para tal coisa, Varshae propõe a Roger que viaje para a Itália com sua noiva Elizabeth, para uma…festa de comemoração.  Ainda em transe pela quantidade ofertada pelo pesquisador, Roger não recusa a viagem. Nesse trecho, eu senti que o autor deu uma forçada para que o protagonista enfrentasse seu destino, mas nada que atrapalhe o enredo.
Embora a história tenha uma pegada espiritual, há muito mais envolvido. O livro tem detalhes incríveis sobre história. O autor aproveitou o ótimo gancho que a vida acadêmica de Elizabeth como pesquisadora de história lhe deu.
Logo no inicio do livro conhecemos outra personagem que irá se destacar muito na trama. Emile Klinger. Irmã de Elizabeth. É com ela que iremos aprender muitas coisas sobre o Kardecismo.
Durante a narração encontramos vários pontos onde são citados alguns trechos do famoso “Livro dos Espíritos”.
“O Livro dos Espíritos é a primeira das chamas obras básicas escritas por Kardec. Aqui está registrado o resultado preliminar dos diálogos estabelecidos por ele em diversas reuniões mediúnicas com o que seriam espíritos desencarnados. A obra é dividida em 1019 tópicos no estilo pergunta/resposta, ordenados didaticamente. Fala sobre vários tópicos, incluindo um que vive na boca do povo hoje em dia: reencarnação.”
Logo iremos saber o porque desse tema ser tão abordado durante umas passagens do livro.
Eu recomendo muito a leitura da obra!
Facebook Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: