PRIMEIRAS IMPRESSÕES | Log#1525 de B. Demetrius.

Olá, leitores!

Hoje trago a vocês minhas primeiras impressões do livro Log#1525, de B. Demetrius, que gentilmente me cedeu uma cópia para resenhar para vocês. Logo ao abrir o pacote dos correios me impressionei com a quantidade de material: o livro com uma jacket, um marca-páginas num formato que me lembrou a base de um sabre de luz de star wars, uma espécie de mapa num papel semitransparente e quatro fotos de locais bastante conceituais.

Ao ler a sinopse fiquei intrigado, pois é diferente de qualquer coisa que eu tenha lido. Aparentemente, o protagonista é um viajante espacial que trabalha em uma companhia, porém algo deu errado e ele caiu num planeta gelado. Ele possui um implante no cérebro que fica falando com ele e parece ser irritante, talvez seja uma espécie de parceiro nessa viagem. A capa muito bonita: mostra alguém numa roupa de astronauta, que acredito ser o protagonista, e montanhas geladas ao fundo. Passando os olhos nas páginas, nota-se que é dividido em diversos Lotes de Dados, cada um subdividido em diversos Logs numerados; é uma espécie de diário de bordo.

O livro não tem enrolação, já começa com logs numerados: o protagonista de fato é um viajante e tem a missão de entregar uma carga em determinado planeta. A nave tem uma tripulação, porém estão todos em hipersono. O protagonista então é acordado pelo “Chefe” com um código vermelho: tem algo estranho com o percurso e é preciso que um implante cibernético seja colocado nele para que seja averiguado. Esse implante é, na verdade, uma interface chamada Boris, que é uma consciência que realmente fala com o usuário, e controla diversas funções da nave. O protagonista descobre que na verdade não ocorreu nada com a nave, porém de acordo com o computador central, “Pai”, a nave já está no destino, embora esteja no meio do nada. O protagonista manda recalcular a rota e segue para o hipersono. É quando começa a ficar estranho: ele acorda em determinado momento, e Boris não responde. Daí Boris o apaga, do nada. Quando ele acorda novamente, Boris aciona uma ejeção de emergência da cápsula, e o protagonista cai num planeta gelado.

Estou bastante ansioso e animado pela leitura, além de extremamente curioso. Seria esse um livro de revolta das máquinas? Boris é um “vilão”? O Pai seria um “vilão”? O que é que tá acontecendo???

Assim que terminar a leitura, o que deve ser em breve, farei uma resenha aqui para o blog. Aproveito para agradecer a B. Demetrius pelo carinho, pelo livro e pela confiança ao Clube.

Facebook Comments

Um comentário em “PRIMEIRAS IMPRESSÕES | Log#1525 de B. Demetrius.

  • 14 de outubro de 2017 em 14:58
    Permalink

    Te desejo uma ótima leitura! Divirta-se com as desventuras do Major. 😉
    Grande abraço!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: