CONCURSO LITERÁRIO – Você ainda pode votar!

O concurso literário Autoramente 2018 abriu a votação pública para os dez textos selecionados pela comissão. Desses dez, haverá cinco vencedores que terão a chance de ver seu texto publicado num livro impresso.

Entretanto, para sabermos quem serão esses vencedores, precisamos de vocês, sim, vocês, leitores e seguidores do Clube de Livros, para votar nos seus textos prediletos. A votação ficará aberta até o dia 4 de agosto de 2018, então, se você não leu os textos e não votou, corre que ainda dá tempo! Para votar, basta ter uma conta na plataforma LuvBook, acessar o perfil do Clube de Livros e clicar no livro Autoramente 2018. É sabido que os escritores independentes possuem grandes obstáculos na hora de expor seu trabalho, e o concurso é uma forma de dar a eles a chance de seus textos serem publicados e lidos. Votando, vocês contribuem com o nosso objetivo de dar visibilidade e reconhecimento a novos escritores. Então, o que estão esperando? Vai lá votar, pessoal!

Opa, calma! Ainda não terminei! Onde eu estava com a cabeça? Bem, vamos lá! Se você deseja conhecer um pouco de cada uma das dez histórias disponíveis para votação, continue lendo este texto, pois apresentarei muito rapidamente cada uma das histórias. Quem sabe alguma delas não te chama a atenção? Talvez você descubra um novo autor para a sua biblioteca!

Baile de Formatura – Douglas Lobo

 No ano de 1989, na cidade de Fortaleza, no Ceará, recém concludentes do segundo grau decidem realizar um baile de formatura. Tudo indica que se tratará de uma festividade adolescente convencional regada a flertes juvenis, álcool secretamente contrabandeado, dança e hormônios – muitos hormônios. Contudo, o autor reservou uma bela surpresa aos leitores. Por tratar-se de uma história que se passa no final da década de 80, haverá inúmeras referências a essa época, o que fará com que os leitores de mais idade se sintam como que envolvidos por um sentimento de nostalgia. Assim como os mais jovens terão um breve retrato dessa década icônica. Mas, sobretudo, esse texto é um presente a todos que apreciam reviravoltas e quebras de expectativas.

Asas e Espinhos – Emily Amite

Um leve conto medieval de amor improvável. Um rei dragão encontra uma plebeia por quem se apaixona, muito embora ele deve-se casar-se com a filha do rei com o qual ele havia, outrora, negociado: a mão de sua jovem filha em troca da não destruição de seu reino.

Borboletas Rosas – Ana Carolina

Borboletas rosas existem ou passariam de invencionices de uma velha senhora para os seus netos? Roger, irmão gêmeo de Sarah, é uma criança inteligente e apaixonada por livros e conhecimentos. A avó de ambos à Sarah que ainda jovem vira borboletas rosas e que eles eram muito raras, aparecendo apenas em momentos especiais. Juntos, os irmãos procuram descobrir se tais animais realmente existem. Roger, para o desapontamento de sua irmã, chega à conclusão de que a borboleta descrita por sua avó não existe, mas de forma extraordinária, descobrirá que o mundo alberga surpresas. Após um acontecimento que marcará sua vida para sempre, ele perceberá que o amor é capaz de tornar real o que aparentemente não seria possível.

Lunar – Hannah F

Uma carta, um desabafo ou um manifesto em nome de um amor que não deu certo. Os anos passam, mas a memória, assim como o coração, é um animal indomável. De uma forma intensa e amargurada, um cara, um simples cara, revisita as razões pelas quais seu relacionamento teria fracassado; o acompanhamos desde o momento em que encontrara pela primeira vez aquela que ele viria a amar até o instante derradeiro.  O amor e sua evolução. Do encontro mágico ao desencontro catastrófico que marca a maioria das histórias de amor que conhecemos.

A hora da visita – Fabio Alex

Renata passará uma última noite na casa que outrora pertencera aos seus pais. O pai falecera e fora enterrado no dia anterior, e agora ela se encontra sozinha no quarto da casa que durante a sua infância viveu. Mas algo a perturbava, o tique-taque do relógio, a lembrança de uma presença que supostamente a vigiava quando ela, criança, ia para a cama. Mas, seria essa presença fruto da fértil imaginação infantil, ou algo mais? Esta é uma típica história de uma casa mal-assombrada sabe-se lá pelo quê. Uma entidade? Um fantasma? Uma criatura? Ou tudo não passaria de delírio? O leitor deverá descobrir a verdade por si mesmo.

Diamante – Sandy Lane

Laís é uma executiva de sucesso, presidente da GMO, uma empresa fundada por seu avô. Inteligente, talentosa e admirada pelos funcionários da empresa. Sua vida pessoal, no entanto, é um segredo. Suas relações resumiam-se a casos breves e contatos profissionais. Levava uma vida reservada, reservada até demais, diriam alguns. Na verdade, Laís, embora bem-sucedida, esconde um trauma de infância e uma mágoa que jamais a deixara. Durante um encontro com seu pai, num restaurante, somos apresentados a uma memória trágica e dolorosa e assim compreendemos o que ela havia se tornado. Uma história forte, de violência, mas para saber o que se esconde por trás dessa grande figura do meio empresarial, só lendo.

Nosso Reduto – Aya Mishy

Cecília é dançarina e acabara de inaugurar seu próprio estúdio, o qual também é sua nova casa. Caio é tatuador e seu estúdio fica bem ao lado do de Cecília. De início, Cecília se vê incomodada com seu vizinho, que possui o péssimo hábito de ouvir música alta durante suas aulas de dança e de madrugada, atrapalhando a sua rotina. No entanto, o que parecia o início de uma tremenda dor de cabeça, acaba relevando-se a oportunidade para ambos descobrirem o amor, para além do medo e da dúvida.

Deus Ex Machina – Tiago Masutti

 E se acaso nos perdermos em nosso próprio Eu? E se perdermos tudo, exceto nossa mente? Ainda somos, se tão-somente pensamos e não sentimos? Um homem, se é que ainda se pode falar dessa maneira, questiona sua própria existência humana enquanto procura por explicações para sua condição anormal. Num futuro onde Marte fora colonizado e a Terra sucumbira a toda sorte de catástrofes, um experimento de transferência de mente parece ter dado errado – ou certo demais. Ainda somos quando vencemos as barreiras do corpo, quando ultrapassamos a materialidade dos sentidos em direção à pura Mente? Nesse conto de Tiago Masutti, a principal questão é esta: o que sou, e se sou algo, esse algo é [ainda] humano?

A Escolha de Maria – Sandra Godinho

Maria, mais uma Maria dentre tantas; este conto é intenso pela sinceridade quase incômoda com que imprime nas palavras o grito rouco que enrosca na garganta de incontáveis mulheres. O desafio desse texto é um exercício de empatia pela carga posta nos ombros arqueados das muitas Marias espalhadas pelo mundo. Não uma história de amor, não uma história de superação, não um conto de fadas, mas um recorte da vida nua, da difícil tarefa de “ser mulher” em um mundo como o nosso. Um texto necessário que nos faz a seguinte pergunta: a escolha é mesmo uma escolha?

Antes de Abrir os Olhos – Jon O’Brian

Um garoto, apenas um garoto, poderia ser eu, poderia ser você, poderia ser qualquer um. Não há nome, porque ele é todos os nomes. O peso de sentir, a dor de uma existência incapaz de afirmar-se senão como derrota e tragédia. Um pouco como na vida, o leitor sentirá, ao ler este conto, um gosto amargo. Pois, aqui, fala a urgência de uma vida desprovida de meios, uma vida que acaba porque na verdade jamais começou. A saída para os que estão sem saída alguma: seguir a trilha de uma tragédia já sabida. Por que algumas pessoas chegam tão longe? Neste conto, talvez o leitor encontre o esboço de uma resposta.

Facebook Comments

Sobre o autor

Raony Moraes
Resenhista do Clube de Livros, estudante de filosofia em hiato acadêmico, desenvolvedor independente de jogos eletrônicos e escritor amador. Catarinense de nascença, vive atualmente no interior de SP, mas pretende retornar à Curitiba, cidade que considera a sua verdadeira casa. 🙂

Raony Moraes

Resenhista do Clube de Livros, estudante de filosofia em hiato acadêmico, desenvolvedor independente de jogos eletrônicos e escritor amador. Catarinense de nascença, vive atualmente no interior de SP, mas pretende retornar à Curitiba, cidade que considera a sua verdadeira casa. :)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: